TendênciasComo o Transporte Marítimo Impulsionará a Transição Energética

https://www.visionintl.com.br/vision/uploads/2022/10/transporte-maritimo-1280x734.jpg

“Os corredores verdes têm o potencial de ser mais do que apenas um banco de testes para projetos de emissão de transporte, eles se vincularão a estratégias nacionais de transição de energia limpa que destacarão o transporte como um facilitador de valor e o veículo de transporte para a transição de energia limpa”. Essa foi a mensagem dirigida a indústria no Fórum Global de Ação de Energia Limpa, a convocação conjunta da Reunião Ministerial de Energia Limpa e da Missão de Inovação Ministerial, de Christopher J. Wiernicki, Chairman, Presidente e CEO da ABS.

No encontro com 31 países, Christopher disse que apenas corredores de transporte verdes têm potencial para enfrentar o complexo desafio da descarbonização em ritmo e escala.

“Na raiz, os corredores verdes representam um modelo único de uma parceria público-privada bem-sucedida que reconhece que, no final, o sucesso para chegar a zero no prazo e no alvo será um esporte de equipe. Um dos desafios únicos da descarbonização do transporte marítimo são as inúmeras peças móveis, uma vez que a indústria é diversificada, desagregada e regulamentada globalmente. Corredores verdes ajudam a reduzir o desafio de coordenação entre infraestrutura de combustível e embarcações, dentro da cadeia de valor e entre regiões, para um tamanho mais gerenciável, mantendo a escala”, disse Wiernicki. “Precisamos de um manual do corredor verde para abordar os principais indicadores de desempenho, linguagem comum, dados e gerenciamento de risco. Isso ajudará a montar as políticas corretas, incentivos financeiros e regulamentos. Corredores verdes nos ajudarão a determinar o equilíbrio certo entre gerenciar riscos e alcançar o sucesso nos negócios.”

Os corredores verdes só podem atingir todo o seu potencial quando estão conectados com estratégias de energia limpa. “Para que, coletivamente, alcancemos nosso resultado zero líquido até 2050, os corredores verdes precisam ser muito mais do que uma série de projetos de descarbonização de transporte desconectados. Em um contexto mais amplo, os corredores verdes devem se tornar uma estrutura de organização crítica conectando o transporte de baixo e zero carbono a iniciativas de descarbonização regionais, nacionais e internacionais mais amplas. Eles precisam estar vinculados às estratégias nacionais de energia limpa”, disse ele.

Dados confiáveis para criar confiança entre os muitos parceiros serão um fator crítico de sucesso em todos os corredores, alertou. “Precisaremos de uma estrutura em torno de medição e relatórios para fornecer dados claros e consistentes. Isso exigirá o desenvolvimento de uma estrutura para verificação e certificação independente para demonstrar os níveis de maturidade, com um mecanismo contínuo de manutenção e compartilhamento de dados. Por sua vez, isso exigirá verificação, principalmente das métricas de carbono, para garantir transparência e confiabilidade contínuas dos dados”.

 

Fonte: guiamaritimo.com.br

©2022 Vision International Business – Todos os Direitos Reservados